Região: Serra do Açor – Arganil
Local: Piódão a Aldeia Presépio
Meio: Rural
Tipo de percurso: circular
Pontos de interesse :
Penedos Altos
Arquitetura Tradicional
Gastronomia
Fauna e Flora

Distância : Distância aproximada: 10Km
Duração aproximada: 4:00horas.
Dificuldade: média de 1 A 5 =3
Hora de Encontro em Santa Marta (Sede): 04:00h
Lisboa Sete Rios : 04H20
Local de início e Hora: Junta de Freguesia do Piódão 08h30
Almoço e autocarro 10paus
APOIO : Camara Municipal do Seixal
Coordenadas geográficas (GPS) 40°13’45.43″N 7°49’30.12″W
SÓCIO OBRIGATÓRIO
Seguros obrigatórios por lei
Caminhada grátis

Descrição :
Há muitos séculos que as verdes pastagens da Serra do Açor atraíam grupos de pastores que aí levavam os seus rebanhos. Diz-se mesmo que esses pastores seriam os Lusitanos, hábeis criadores de cavalos que povoavam os Montes Hermínios (Serra da Estrela). Ao longo dos tempos as populações foram criando condições para a sua subsistência, conquistando à Serra cada pequena leira cultivada em socalcos. A agricultura, pastorícia e a apicultura constituíram assim as principais atividades destas populações. Pelo alto da Serra do Açor, passava a antiga estrada real que ligava Coimbra à Covilhã por onde circulavam caravanas de carros de bois que traziam do litoral o peixe e o sal para levarem no regresso a carne, o queijo, os lanifícios e até gelo, das terras do interior. Por ali passavam mercadores e pastores e até salteadores. Diz-se também que terão sido os ataques dos salteadores que incentivaram a união dos solitários pastores, espalhados por aquelas agrestes penedias onde criavam éguas, cavalos, ovelhas e cabras.

Arte Rupestre
A arte rupestre de Chãs de Égua enquadra-se entre o período do Neolítico e o Bronze Final e o Bronze Final e da 1ª Idade do Ferro. As rochas gravadas estavam, nessa altura, ligadas a comportamentos ritualizados que associavam os códigos figurativos ao domínio de um território específico. A arte rupestre encontrada é essencialmente do tipo esquemático, como antropomorfos, serpentiformes, podomorfos, equídeos, espirais e figuras geométricas, entre outros. Neste território foram já descobertas 100 rochas gravadas e constituem a mais importante concentração de arte rupestre conhecida até ao momento no território que estende entre o Tejo e o Baixo Côa. Tal facto foi determinante para a instalação de um Centro Interpretativo de Arte Rupestre em Chãs de Égua.

NO FINAL DA CAMINHADA , vamos até à magnifica aldeia de Relva Velha onde com o tradicional acolhimento da Comissão de moradores de Relva Velha , será servido o almoço composto de : Grelhada mista, pão batata frita, vinho , sumos e água . PEDIMOS A TODOS que tragam alguns chouriços e outros que tais para umas entradas e também sobremesas para assim compormos juntos um final de época de caminhadas Casmp inesquecivel …..PORQUE OS NOSSOS SÓCIOS MERECEM
Vens Connosco!? O primeiro passo é teu!